REFER "tranquila" na Linha do Norte

Rede Ferroviária Nacional defende que o atraso é assunto do Governo

CARLOS SANTOS

A REFER - Rede Ferroviária Nacional - diz-se de "consciência tranquila" em relação aos atrasos das obras de modernização da Linha do Norte. Manuel Frasquilho, presidente do Conselho de Administração da REFER, fez a afirmação durante uma reunião com dirigentes de todos os sindicatos do sector ferroviário, que decorreu ontem. No encontro, a REFER fez "um balanço cor-de-rosa e sem uma única referência à Linha do Norte", conforme referiu, ao JN, Francisco Fortunato, dirigente nacional da UGT.
Manuel Frasquilho foi confrontado com o atraso na remodelação da mais importante ligação ferroviária portuguesa. Mas, segundo revelou o dirigente sindical, "afirmou que a REFER já tinha avisado quem de direito, em 1997, sobre a situação da Linha do Norte e que é ao Governo que compete falar sobre ao assunto".
Uma explicação simplista, que não convenceu Francisco Fortunato: "Se existem erros no passado, quem são os responsáveis? A REFER está a esconder alguém, da sua Administração, culpado pela catástrofe da Linha do Norte".
Manuel Frasquilho terá ainda dito que "já se escreveu muita coisa sobre a Linha do Norte, mas a REFER não respondeu nem vai responder, porque está de consciência tranquila".
O que, para Francisco Fortunato, não será bem assim: "Se a REFER estava a par de toda a situação das obras da Linha do Norte, por que razão não respondeu ao despacho de João Cravinho a tempo e horas? Por que razão acabou por pedir um alargamento do prazo?".

 

<< Página Principal